Doze questões sobre a magia no Império – Parte 2


Esta é a segunda parte das 12 questões, sugeridas pelo site IO9, para o desenvolvimento de um cenário mágico consistente. Embora estas 12 questões não dêem conta da complexidade da magia em Qaran, temos uma idéia bastante ampla de como ela é vista pelos seus habitantes. Você pode ler as seis primeiras questões clicando aqui.

frank Frazetta - Sea Witch

7.   Qual é o custo da magia?

A execução de uma magia tem um custo energético, em élan, como já sabemos. O maghoe precisa absorver e queimar este élan enquanto executa a magia. Mas existem outros custos que não são tão mensuráveis. O arresto de uma magia pode deixar para trás marcas que não sumirão com o simples descanso, além disso a exposição prolongada a tal quantidade de élan pode trazer efeitos colaterais desagradáveis, deformidades ou mesmo deficiências com as quais um maghoe precisará lidar pelo resto de sua vida. Tais marcas são comuns nos praticantes mais velhos. Dedos a menos, ou a mais, saliências como chifres nas mãos, áureas que não se apagam nunca, olhos de cores variadas. Pele rígida e quebradiça, mal cheiro, atração de insetos ou pequenos animais, a lista é interminável e suficiente para que um maghoe pense sinceramente se gostaria de pagar o preço.

8.   O que a magia não pode fazer?

Muitos maghoë tentaram descobrir como reverter a morte. Embora alguns tenham sido bem sucedidos em animar corpos mortos ou invocar espíritos descarnados, nenhuma magia conseguiu até hoje retornar a vida a um corpo falecido. O ferro dispersa o élan, tornando magia algo bastante difícil entre soldados vestindo armadura e portando espadas. A magia em Qaran é uma arte discreta. Alguns praticantes enfeitam sua execução com truques pirotécnicos baratos, mas o verdadeiro praticante não chama a atenção. A magia é a arte da transformação. Ela transforma um círculo de giz em uma barreira invisível, transforma uma bandeja com água em um espelho para a outra sala.

9.   Quanto tempo ela irá durar?

O tempo de duração de uma magia depende da relação entre a quantidade de élan disponível e a quantidade de élan consumida pelo efeito. Algumas magias consomem grande quantidade de energia em instantes, outras podem consumir pequenas quantidades ao longo de muitos anos. Esgotando o élan, a magia para de funcionar.

10.   Quem pode usá-la?

Todos aqueles com estudo teórico e acesso a élan podem executar uma magia. Teoricamente, o ensino de Alta Magia é limitado pelas ações da Academia Arcana e das guildas fiéis a ela. Na prática, porém, é possível encontrar maghoë menores por toda parte, com conhecimentos rudimentares (e muitas vezes perigosos) da teoria mágica. Contrate-os por sua conta e risco.

11.   Como os outros reagem a magia?

As pessoas tem conhecimento da existência da magia, assim como tem conhecimento da existência da engenharia, medicina e advocacia. Como qualquer profissão especializada, o verdadeiro conhecimento é monopolizado e vendido. Você pode contrata rum maghöe em qualquer lugar do mundo, para as mais diversas funções, desde que possa pagar pelos serviços. É comum que grandes senhores possuam um ou dois maghöe em sua folha de pagamentos. Infelizmente, como em qualquer outra profissão, existe uma certa quantidade de charlatães se aproveitando da credulidade alheia. De forma geral a magia é temida. Os efeitos colaterais causados pelo aresto são o suficiente para que as pessoas olhem para os praticantes com suspeitas. A magia cobra um preço que não tem nada relacionado ao ouro e muitas vezes se torna bastante imprevisível.

12.   Porquê os maghöe não tomam o controle do mundo?

Na verdade, eles já controlaram. Quando os antigos tallemari chegaram de além mar, eles fundaram o que foi chamada depois de Era dos Magos. Os reis magos se espalharam por todo o continente governando aqueles que não possuíam magia, exatamente como ainda acontece em Nova Tallemar. Estes reis magos, que não deviam lealdade a ninguém, acabaram se destruindo em terríveis guerras, entregando todo o continente ao caos. Os sobreviventes destas guerras caçaram e mataram todo o praticante de magia que puderam encontrar, no que foi chamado de grande Expurgo. Somente séculos mais tarde com a fundação do Império, a pratica de Magia voltou a ser autorizada, sob a vigilância constante do Imperador. Existem censuras claras sobre o que pode ser estudado e qualquer um que desafiar os estatutos da Academia Imperial terá que se sujeitar aos rigores da lei. Mesmo assim, sempre que um maghöe abusa dos seus poderes, pode acabar caçado e morto pelo Imperador. O mesmo não acontece em outros lugares do mundo e mesmo em muitos lugares mais afastados, os maghöe se colocam acima dos poderes do Império.

veja o original em: 12 Questions to Ask Yourself About the System of Magic in Your Fantasy Novel.

Anúncios

Uma resposta para “Doze questões sobre a magia no Império – Parte 2

  1. Pingback: Doze questões sobre a magia no Império – Parte 1 | Chamas do Império·

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s