Inspiração : 5 histórias guerra reais que dariam ótimos filmes


Essa lista do site Cracked é tão fantástica que eu não podia deixar de traduzir. Como o autor disse no artigo original, “muitas vezes o que realmente acontece no campo de batalha é algo mais estranho do que qualquer filme dos anos 80.” A tradução foi feita por mim e eu me responsabilizo por qualquer diferença que existir entre ela e o original.

5.  A resistência do pelotão Pavlov contra os nazistas

Pavlov's_House

A tentativa meia-boca de Hollywood:

Aqui está uma história tão inverossímil que só funcionaria no gênero de fantasia, mais especificamente, na batalha do Abismo de Helm de O Senhor dos Anéis. Um grupo de guerreiros mal armados encontra-se escondido dentro da fortaleza em uma desvantagem de 30 inimigos para cada um. Sabendo que a morte é praticamente inevitável, eles decidem segurar o exército vastamente superior como exercício de virilidade, antes de ser resgatado por um mago.

A realidade muito mais foda:

Imagine se o Abismo de Helm só estivesse sendo defendido por duas dúzias de rapazes e o inimigo que cruzou o seu caminho fosse uma esmagadora hora de zumbis de um império com uma terrível eficiência marcial.

Foi isso o que o pelotão do sargento Yakov Pavlov se enfiou em 1942. Os nazistas estavam empurrando para trás as forças Russas, como parte da maior operação militar da história da raça humana, e tudo estava prestes a chegar a um ponto crítico na cidade de Stalingrado, com uma batalha que tinha cenário um único prédio parcialmente destruído pelo bombardeio.

Pavlov e seu pelotão foi incumbido com a tarefa ingrata de retomar o prédio depois que os nazistas o haviam ocupado. Para se ter uma idéia do que se passava em sua cabeça quando aceitaram a missão, é bom lembrar que ela foi considerada extremamente perigosa para o exército soviético, e que o slogan do exército soviético na época era “morrer pela Rússia.”

Fazendo as contas rápidamente, Pavlov percebeu que sua única chance era jogar todo seu pelotão no moedor de carne, e esperar que a velocidade com que atravessassem os inimigos permitissem que pelo menos alguns deles sobrevivessem. Ele perdeu tudo exceto 4 homens no ataque, mas seu plano funcionou e eles tomaram o edifício. Se os nazistas tivessem entendido que estavam lidando com um homem que considerou quatro sobreviventes como sucesso, eles provavelmente teriam percebido que estavam em alguma merda muito séria. Tendo sobreviventes apenas para filmar um filme de zumbi respeitável, Pavlov só podia destacar um soldado para cada andar. No entanto, a linha de tiro oferecida pela posição foi o suficiente para desencadear uma montanha profana do inferno contra todos os facistas.

O edifício foi submetido ao implacável foto inimigo – assim como foram os civis que se amontoavam em seu porão – mas a unidade Pavlov sustentou a posição tempo o suficiente para ser reforçada por uma força ainda minúscula de 25 homens. Não era um mago, mas era tudo o que ele precisava. Seus homens receberam metralhadoras, fuzis, morteiros, arame farpado, minas anti-tanque, roupa protetora e um rifle anti-tanque PTRS-41 que Pavlov usou pessoalmente para alfinetar uma dúzia de tanques a partir do telhado. Eles basicamente utilizaram o equipamento que tinham para converter o prédio em uma maldita máquina de morte anti-nazista que poderia aniquilar qualquer coisa que estivesse a um quilômetro em qualquer direção.

Enquanto todo mundo conservasse sua munição e mantivesse seus postos, o única coisa que representava perigo real ao edifício veio de um lança-chamas. Felizmente, com atiradores lendários como Anatoly Chekhov no piso superior, isso geralmente resultava em um funeral viking para os nazistas.

O exército alemão martelou contra o edifício onda após onda. E morreu.

Mas tarde, os homens e Pavlov puderam se gabar de que eles mataram mais alemães para defender um único edifício que todos os franceses mortos em toda queda de Paris. E infelizmente para os egos dos franceses, eles ainda estavam vivos para se vangloriar – em 2 de Fevereiro d o ano seguinte, a Batalha de Stalingrado havia terminado. Pavlov foi nomeado Herói da União Soviética e o edifício que ele defendeu foi transformado em um monumento.

4. O Ministério de Guerra dos ‘Deselegante’

Maquis_Haute_Savoie

A tentativa meia-boca de Hollywood:

Espero que você não tenha visto o filme “A Liga Extraordinária”, mas que tenha lido os quadrinhos que fala sobre um bando de personagens fictícios como Capitão Nemo, O Homem Invisível e Dr. Jeckyll/Mr. Hyde, todos juntos a partir dos seus universos ficcionais para salvar o mundo.

A realidade muito mais foda:

E se nós dissermos que havia uma unidade militar secreta durante a Segunda Guerra Mundial que contou com James Bond e Saruman, operando a partir da sede de Sherlock Holmes e “salvou o mundo de uma aniquilação nuclear nas mãos nazistas”?

Conheça o Executivo de Operações Especiais, uma filial militar super-secreta do Reino Unido, encarregada pessoalmente por Winston Churchill para “pôr fogo na Europa”. Na equipe estavam o criador de James Bond, Ian Fleming (que se baseou em suas próprias experiências para escrever 007), bem como os membros que o inspiraram para escrever os personagens M, Q, Moneypenny e a sensual Vesper Lynd. Todos eles se juntaram ao futuro Drácula/Saruman/Dookan, Christopher Lee e tinham como base de operações a Baker Street em Londres. Isso mesmo, o lugar onde Sherlock Holmes resolveu seus mistérios.

Estes “Irregulares de Baker Street” eram os rapazes e garotas de ação de Churchill e sua guerra “deselegante”. Se havia uma ponte que precisava ser destruída ou um oficial que precisava ser seduzido, era melhor você ter certeza que o EOE tinha todas as capas e punhais necessárias para se certificar de que o Coronel Arschloch gastou seus últimos momentos durante a WWII sendo assassinado em sua cama em qualquer lugar entre o Canal Inglês e o sudeste asiático.

A maior conquista do Ministério, e talvez o melhor ato de sabotagem em entre todos da Segunda Guerra Mundial, foi a Operação Gunnerside : um crossover entre o Ministério da Guerra Deselegante e seus primos na Resistência Norueguesa. Sua missão: treinar uma unidade de elite formada por Vikings para  se juntar a EOE em uma missão secreta para destruír uma fábrica de água pesada na Noruega, antes que os nazistas pudessem usá-la para construir uma bomba atômica com ela. É graças a esses bastardos desconhecidos da Segunda Guerra Mundial que Hitler não conseguiu qualquer ogiva nuclear para usar nos seus V-2 e transformar os últimos meses da guerra em algo semelhante ao Dia do Julgamento.

3. O esquadrão Moffat derruba uma Estrela da Morte

Bismarck-into-Battle-lg

A tentativa meia-boca de Hollywood:

O esquadrão vermelho de Luke, em Star Wars, se ao invés da tecnologia espacial cara, o esquadrão tivesse usado uma arma de fogo e um estilingue para destruir a Estrela da Morte.

A realidade muito mais foda:

Com 825 pés e capacidade para mais de 50 mil toneladas, o Bismarck foi o maior navio de guerra lá lançado no mundo. Vendo este desgraçado através de um par de binóculos, você iria pensar que ele era grande demais para ser possível.

Ele não queria apenas se vangloriar das tinha oito armas de 15 polegadas  (se você acha que isso parece pequeno, pense que são 38 centímetros de diâmetro!) e das cinco dúzias de armamentos menores a bordo. O computador de mira a bordo era tão preciso que surpreendeu o HMS Hood, orgulho da Marinha Real, com um tiro sinistro e o destruiu. Sua consequente destruição e perda de quase todos os seus marinheiros foi considerada uma das maiores explosões não-nucleares em toda Segunda Guerra Mundial.

Felizmente o navio de guerra tinha uma fraqueza fatal: o pequeno e vulnerável leme, presumidamente localizado bem abaixo do seu ponto de exaustão térmico.

Logo após o anoitecer em 24 de Maio de 1941, o tenente comandante John Moffat da Air Arm Fleet, e seu esquadrão de bombardeiros biplanos atacaram o Bismarck de todas as direções, na maioria dos casos sobrevoando logo acima do nível da água para evitar os disparos do navio de guerra.

Embora eles voassem na escuridão da noite (provavelmente usando alguma versão antiga da Força), Moffat foi capaz de disparar um torpedo em um tiro de um em um milhão que atingiu a praça Bismarck em seu leme, a um ponto vulnerável em 50 mil toneladas de armadura e armamento eriçado. O acerto deixou o navio de guerra mais temido do Kriegsmarine flutuando morto na água. A Marinha Real prontamente navegou para terminar o trabalho.

2. Os treze imundos

jack-s-175th-regiment-newport-news-19421

A tentativa meia-boca de Hollywood:

O Filme “Os Doze Condenados (The Dirty Dozen), não teria sido feito se “Os treze imundos” não tivessem surgido primeiro.

A realidade muito mais foda:

Os Treze Imundos era uma sub-unidade do 506o Regimento de Infantaria Paraquedista, 101o Divisão Aérea, mais conhecida como “Screaming Eagles” que saltaram sobre a fortaleza de Hitler na Europa com a 82 Divisão durante o Dia D para preparar o terreno pela manhã. Os Imundos estavam entre os mais beberrões, mais briguentos, cascas grossa do exército Americano, e receberam esse nome por costumarem só tomar banho e fazer a barba uma vez por semana durante o treinamento e raramente lavarem seus uniformes, se tanto. Olá Sarna!

Sua especialidade era explodir pontes, ou qualquer outra coisa que pudesse explodir se fosse amarrado com bastante TNT, causando um pesadelo entre os Alemães quando eles tentavam em vão deter a invasão Aliada. As missões eram tão arriscadas como passar um tempo com uma prostituta tailandesa, mas os Treze Imundos eram hábeis em explodir as coisas desde a França ocupada pelos Nazistas, por todo o caminho até a Normandia, para a Batalha de Bulge, tudo isso cheirando pior do que, bem a tal prostituta tailandesa.

Seu destemido lider, Jake McNiece era parte nativo-americano, e seus companheiros Imundos escolheram escolheram honrar isso, indo para a batalha ostentando Moicanos como os de Travis Bickle e sinistras pinturas de guerra.

Mas antes que chegasse tão longe, McNiece precisou se alistar e recebeu essa pepita do conselho gestor de alistamento:

“Você pode ter apenas 23 anos. Eu não sei, mas sua cara e a sua cabeça parecem ter sido usadas para prática de granadas de mão e já ter gastado três outros corpos.”

Se isso não é parte da merda de um filme, não sei o que é. Espere, sim nos sabemos! Essa citação do companheiro Imundo Robert Cone, a respeito da missão do Dia D:

“Nós pousamos perto de uma cerca viva, a partir da qual os alemães estavam atirando em nós, e o cara que estava comigo foi morto. Eu fui atingido no ombro direito e quebrei o braço todo até o antebraço. A bala ficou locada ali durante um ano. Eu pude ir embora, mas não podia segurar meu rifle.”

Se cagar nas calças e cair no chão chorando feito uma moça não se tornar uma tática de fuga, não deve ter ninguém  lendo isso capaz de escapar de algo assim desarmado e com um só braço.

E se nada disso chamou a sua atenção, veja essa citação de quando o Imundo Jack Womer em relação ao dia em que conheceu Winston Churchill, que temos orgulho de apresentar sem absolutamente nenhuma informação adicional para ajudar a determinar como isso aconteceu:

“Eu pensei comigo mesmo: ‘Devo atirar nesse filho de uma puta? Eu não me importo se ele é o primeiro-ministro, eu não quero que ele urine em mim!”

1. Wojket da 22o Companhia de Abastecimento de Artilharia

482px-Wojtek_in_truck

A tentativa meia-boca de Hollywood:

O filme Bastardos Inglórios, e só por que eles gastaram metade do maldito filme tentando convencer que Eli Roth era um “urso”, sem uma roupa de urso e nem mesmo um dia de aula de atuação.

A realidade muito mais foda:

Se você pensou que Bastardos Inglórios era hardcore por que eles tinham o Sargento Donny “Urso Judeu” Donowitz em suas fileiras, bem… sente-se e se prepare entrar em um mundo novo cheio de maravilhas. O mundo real.

Dentro das duras fileiras das Forças Armadas Polonesas no Ocidente, havia a 22o Companhia de Abastecimento de Artilharia. O soldado mais famoso foi  Wojtek, que ficou conhecido universalmente no submundo polones como “Aquele que gosta da guerra”, “O guerreiro sorridente” ou simplesmente como “O Urso”. Durante a épica batalha de Monte Cassino, Wojtek correu para reforçar seus irmãos de armas polacos, ajudando a inclinar a balança a seu favor. Depois que a batalha sangrenta acabou, uma bandeira polonesa foi erguida no topo do Monte Cassino, em agradecimento principalmente pela presença no campo de batalha daquele único soldado, o mais amado do exército polonês: Um urso.

É isso mesmo… A 22o Companhia não faziam besteira como o Tarantino. Durante a Segunda Guerra, esses bastardos tinham um urso de verdade em sua unidade (não um urso judeu, claro). Wojkek era um Urso Marrom da Síria, que tinha sido adotado quando eles estiveram servindo na Persia. Ele se provou o melhor animal de estimação de todo o exército, comendo com eles, bebendo com eles, dormindo em suas barracas e caminhando com eles todo o caminho da Pérsia para a Palestina. Quando o 22o Companhia estava pronta para embarcar para a Italia, Wojtek tinha duas opções: Voltar para casa ou conseguir um emprego. Claro que o jovem Woktek respondeu ao chamado do dever e oficialmente se alistou no Exército Polonês como um praça.

Wojtek trabalhou duro pelo seu salário (sim, pago!) ajudando a transportar munição pesada para a frente de combate, o que era bem mais fácil para a 22o Companhia já que Wojtek era um diabo de um urso. Wojtek era um bebedor contumaz, um trabalhador diligente, e muito charmoso com as mulheres… espera, nós já mencionamos que ele pesava centenas de quilos, corria mais rápido que um cavalo, cheirava sangue no horizonte distante e podia escalpelar um nazista com um golpe, de suas patas de urso porquê ele era um maldito urso?

Como a 22o Companhia não foi imediatamente transferida para o combate quando Wojtek se alistou, nos não sabemos. Nos não precisamos ser Eisenhower para imaginar que se Wojtek recebesse algumas patentes, ele pode ter treinado todo um batalhão de ursos soldados comedores de nazistas falando ursês, para abrir uma estrada entre Itália e Berlin, que daria fim a Segunda Guerra quando Wojtek pessoalmente comesse Hitler.

via Cracked.com.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s